PROCURE SOBRE UMA HISTÓRIA:

Barra horizontal

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Mil dias em Veneza - Marlena de Blasi

Tenho que confessar que eu tenho preconceito com autoajuda e romances fofos demais. Daqueles em que tudo dá certo e em que a vida é um filme da Disney. Salvo raríssimas exceções (que eu não consegui lembrar agora), eles não são nenhum exemplo de boa literatura. Por outro lado, eu amo biografias e acho que todo mundo tem algumas coisa divertida para contar.Por influência materna e gastronômica, resolvi ler Mil dias em Veneza, da jornalista e chef Marlena de Blasi, também autora de Mil dias na Toscana. Se eu perdi o preconceito? Nem um pouco. Ainda assim, o livro é tão rápido de ler, que dificilmente vai atrapalhar a sua lista de "livros que eu realmente preciso ler", então, está valendo.

A história, apesar de ser um semi-conto de fadas, é verdadeira e autobiográfica. Marlena é jornalista gastronômica e vive entre Estados Unidos e Itália. Já é habitué de Veneza, embora somente pelo trabalho. Em uma dessas viagens, conhece um italiano, por quem se apaixona e com quem decide morar junto. Assim mesmo. Do nada. Marlena então convence todo mundo de que a coisa certa a fazer é largar toda a sua vida americana para se mudar para o apartamento do "estranho" em uma das ilhas de Veneza. Tudo lindo.

Até que ela se muda. O apartamento do "estranho", como ela chama o italiano durante livro inteiro, está caindo aos pedaços. Ele tem um jeito mais italiano do que o estereótipo básico dos italianos: ele não quer mudar os móveis de lugar, não quer que ela cozinhe em casa, porque está acostumado a comer nos mesmos lugares, não quer que ela use ingredientes diferentes demais dos que a mamma usa, e por aí vai. Marlena então migra de felicidade a fim de paciência com grande facilidade.

O livro vai até o casamento dos dois, a busca do vestido perfeito e a procura de um novo lugar para morar. E é assim que se chega no segundo livro: os dois encontram um casarão na Toscana, onde hoje oferecem um tipo de turismo gastronômico.

Não é indispensável na sua prateleira, mas, para quem gosta de romances fofinhos, é um prato cheio. A melhor parte? Quando o livro acaba, vem uma lista de receitas que a chef Marlena aprendeu durante a sua estadia na Itália. Aí sim: imperdível.

1 comentários:

Raquel Linhares disse... [Responder comentário]

Hahahahahahaha, que comentário mais ácido, Carol.

A sinopse não me atraiu muito não.

Você tem que tomar cuidado com suas palavras. Elas têm poder! hahahahaha

Postar um comentário

O blog continua com a sua opinião.

Já conhecia o livro? O que achou dele?

Não tinha ouvido falar desse título ainda? Deu vontade de ler, certo?

Deixe seu comentário, isso faz o blog viver!

____________________________________________

Queremos uma interação maior com nossos leitores, por isso não aceitamos mais comentários anônimos.

Clique em increver-se por e-mail, assim será avisado sempre que um comentário for deixado na postagem. Uma pode ser a resposta para você.

Se quiser entrar em contato de maneira mais rápida, vá ao nosso Formulário de Contato.

Para parcerias leia aqui antes.