PROCURE SOBRE UMA HISTÓRIA:

Barra horizontal

sábado, 15 de janeiro de 2011

A garota dos pés de vidro - Ali Shaw

"A garota dos pés de vidro", de Ali Shaw, entra em duas categorias que eu já mencionei antes: livros que começam com "a menina que...", "o homem que...", "a garota que..." e daí por diante, e livros que eu compro julgando pela capa - eu sempre compro algum livro que eu julgo pela capa e essa é lindíssima. A história desse livro, no entanto, é tão fantasiosa quanto a capa. O que não chega a ser uma coisa ruim, ele é muito interessante, mas extremamente diferente do que você tem lido por aí.

Ali Shaw se formou em literatura inglesa e depois foi trabalhar como vendedor de livros. Ele mantém um blog na internet onde fala sobre "A garota dos pés de vidro" e o que o inspirou a criar St. Hauda's Land, o vilarejo onde toda a história se passa. É uma espécie de contos de fadas para adultos, baseado em Hans Christian Andersen, escritor de, entre muitos outros, A Pequena Sereia.

A obra fala sobre Ida MacLaird, uma menina que começa a ter seus pés transformados em vidro e retorna ao vilarejo onde tudo começou para procurar uma cura. Ela se apaixona por um rapaz local, Midas Crook, todo tímido e problemático. Uma das apostas dela é que um senhor que ela encontrou anos antes, Henry Fuwa, pudesse saber porque seus pés viravam vidro e como curá-la. Esse senhor, aliás, criava vaquinhas do tamanho de insetos com asas de borboleta e sabia que a tal doença do vidro se espalharia pelo corpo inteiro dela até sua petrificação total, não havendo cura. Sabia-se também que algum animal nos bosques vizinhos tinha olhos brancos e transformava em branco tudo o que via, podendo ser ele a causa da transformação de pessoas em vidro.

Parece mais estranho falando assim. Acontece que nem as vaquinhas com asas de borboleta, nem os pés de vidro, nem quaisquer outros animais fantásticos são as coisas mais importantes dessa história. E ela também não se passa em um universo paralelo, se passa aqui mesmo. Ou seja, a única explicação é que a trama seja toda metafórica, e para mim ela é. Na verdade, o mais importante é o romance entre Ida e Midas, que é interrompido por essa doença terminal. Em Ida, ela começou pelos pés, em outro personagem, insensível e frio, começou pelo coração, levando-o ao suicídio.

Para mim, a moral é quanto tempo te resta e o que você pretende fazer com ele. Enquanto você descobre as suas metáforas nesse livro, se diverte com o curral de vaquinhas voadoras (que aliás, podem ser vistas no blog dele em croquis do autor)! Outra coisa: tanto esse livro quanto "A menina que não sabia ler" são da editora Leya, que é nova e parece que está chegando com alguns volumes bem fortes no mercado.

3 comentários:

Elisandra disse... [Responder comentário]

Realmente a capa é linda, mas não sei se vou gostar da leitura, vou esperar para ler mais sobre ele no mundo virtual. Beijokas elis!!!!!!

Larissa Araújo disse... [Responder comentário]

Eu acabei de ler esse livro, eu esperava mais do final. Apesar de tudo, é um bom livro.

Larissa Araújo disse... [Responder comentário]

Eu acabei de ler esse livro, eu esperava mais do final. Apesar de tudo, é um bom livro.

Postar um comentário

O blog continua com a sua opinião.

Já conhecia o livro? O que achou dele?

Não tinha ouvido falar desse título ainda? Deu vontade de ler, certo?

Deixe seu comentário, isso faz o blog viver!

____________________________________________

Queremos uma interação maior com nossos leitores, por isso não aceitamos mais comentários anônimos.

Clique em increver-se por e-mail, assim será avisado sempre que um comentário for deixado na postagem. Uma pode ser a resposta para você.

Se quiser entrar em contato de maneira mais rápida, vá ao nosso Formulário de Contato.

Para parcerias leia aqui antes.