PROCURE SOBRE UMA HISTÓRIA:

Barra horizontal

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Diga não para a pirataria em blogs

Olá amigos leitores,

Mais uma vez estamos aqui para escrever não sobre livros, mas por algo importante também.

O blog Championship Vinyl criou a campanha Este blog não apoia a pirataria na blogosfera. Isso tudo por que a disseminação de "blogs" que visam apenas colocar links para downloads de músicas, DVDs e seriados está cada vez maior e traz para junto da blogosfera a péssima impressão de que os blogs não tem credibilidade e nem qualidade. E todos nós sabemos que muitos blogueiros de verdade tentam manter blogs que acrescentem muito para os leitores. E nos damos ao direito de entrar nessa lista.

Aqui no Histórias para Ler, por exemplo, tentamos incentivar a leitura através das nossas opiniões, mas nunca vocês encontrarão aqui links para baixar os livros completos. O que queremos aqui é mostrar o que pensamos e deixar um gostinho de "quero-mais" nos leitores.

Esperamos que todos participem dessa bela iniciativa.

Leiam também o post do Champ-Vinyl aqui.

Boa leitura.

10 comentários:

Andréa Motta disse... [Responder comentário]

Apoiados!

Verônica Martinelli disse... [Responder comentário]

Apoio também, mas repare, é difícil fazer uma boa leitura, ter livros bons, ter uma biblioteca se as editoras e a mídia não ajuda.
As editoras nos dão preços entre 40,45(pelo menos aqui é assim) a mídia não se importa em fazer uma propaganda que imsentive a leitura, o governo não disponibiliza verba para livros na escola.
Então a pirataria acaba tendo ajuda (mesmo que involuntária) de vários ângulos.


ps: Volta ao mundo e 1984 são ótimos livros:)

Abraço

Carol Yi disse... [Responder comentário]

Muito bom o blog de vcs. E apóio a campanha. Passarei aqui mais vezes.

Carol Yi disse... [Responder comentário]

ah, esqueci de deixar o blog:

http://arrozcolorido.blogspot.com/

Nelson disse... [Responder comentário]

é um tema muito difícil, poderíamos fazer um debate, mostrando prós e contra a esta prática. Eu por exemplo disponibilizo textos de cunho acadêmico, Pouquíssimas pessoas baixam livro para ler no pc. eu mesmo prefiro um livro comum, mas ter essas obras é um modo de democratizar o acesso a cultura de qualidade.

abraço

Pedro disse... [Responder comentário]

Concordo, Nelson. O que não somos a favor é de donloads de produtos como CDs, DVDs e jogos... Agora se o autor disponibiliza o produto, não vemos problemas...

Tem o site, dominiopublico.gov.br por exemplo, que disponibiliza obras gratuitas para download, mas o autor, ou a própria família permite. Isso muda tudo.

Gabriel disse... [Responder comentário]

Entendo que pirataria configura-se a partir do lucro sobre algo que foi produzido por outro. Quando um indivíduo usa o trabalho de outros para se favorecer. Na minha concepção esse procedimento é completamente diferente da livre disseminação de cultura, da qual sou totalmente a favor. A livre disseminação é aquela em que um indivíduo disponibiliza qualquer tipo de material, para que qualquer pessoa possa ter acesso, sem custos. Downloads de vídeos, filmes, músicas e livros na íntegra fazem parte deste processo. Entendo que esse tipo de reprodução é ilegal, no entanto, mesmo ilegal, acredito que é uma prática que deve ser adotada sempre que possível. Como o próprio camarada Nelson colocou, o alto valor desses produtos muitas vezes impossibilita o nosso acesso a eles e a cultura não pode ser "monetarizada", a cultura deve ter livre circulação, produzida e distribuída sem custos para que não se torne um produto das elites, onde apenas aqueles que possuem o poder financeiro possam ter acesso. Muitas vezes não tenho acesso a um livro ou filme que gostaria, e a livre disseminação me possibilitou esse acesso, tendo condições, a partir de então, de ler ou ver o filme, contribuindo para o meu desenvolvimento enquanto indivíduo ativo.
Acredito que esse debate é importante pois não podemos continuar permitindo que apenas uma minoria tenha acesso às diversificadas formas de expressão cultural enquanto a grande parte da população, com poder aquisitivo muito abaixo do ideal fica restrita àquilo que lhe é oferecido, sem condições de opção.
Vale salientar que promover a livre disseminação também configura-se enquanto forma de manifestação contra a industria cultural. É uma forma de precionarmos gravadoras, editoras, e afins a baixarem o custo de venda de seus materiais para que o acesso se torne mais democrático.

Por enquanto é isso, mas espero que o debate não cesse.
Beijos e Abraços.
Bauo.

Gabriel disse... [Responder comentário]

Apenas uma correção, foi a camarada Verônica quem falou acerca dos preços.

Pedro disse... [Responder comentário]

Talvez eu não tenha sido muito claro

O grande ponto que coloco é principalmente que a maioria dos blogs que se dispõe a colocar músicas, vídeos e etc na rede de forma gratuita utiliza-se de propaganda de links e isso torna o blog rentavel. Logo ele tira lucros.

Outro fato importante é que ele se utiliza de uma plataforma gratuita, blogs. Ao invés de utilizar-se de um site realmente, coisa que demandaria algum dinheiro com domínio, alguma hospedagem e manutenção. Entende?

Na hora em que o dono do blog tira algum lucro do veículo de distribuição torna-se uma coisa séria e não a vontade de distribuir a cultura.

É por esse motivo que deixamos no blog dois links de sites que fazem isso com obras de domínio público. Assim você lê dratuitamente obras que seus autores ou responsáveis por direitos liberaram. E lá tem ótimas obras.

Anônimo disse... [Responder comentário]

intiresno muito, obrigado

Postar um comentário

O blog continua com a sua opinião.

Já conhecia o livro? O que achou dele?

Não tinha ouvido falar desse título ainda? Deu vontade de ler, certo?

Deixe seu comentário, isso faz o blog viver!

____________________________________________

Queremos uma interação maior com nossos leitores, por isso não aceitamos mais comentários anônimos.

Clique em increver-se por e-mail, assim será avisado sempre que um comentário for deixado na postagem. Uma pode ser a resposta para você.

Se quiser entrar em contato de maneira mais rápida, vá ao nosso Formulário de Contato.

Para parcerias leia aqui antes.